Democracy and me by Nico (Democracia e eu)

Why Volunteering in Montis brought me to Brussels and how this strange city presented me the state of the European Union in a nutshell.

O porquê de o voluntariado na Montis me ter trazido a Bruxelas e como esta cidade estranha me apresentou o estado da União Europeia em poucas palavras.

I caught the rotating metal in midair and smashed it on the back of my left hand. As I lifted my right the patriarchal cross on the backside of the Slovakian Euro decided it was me who would fly to Belgium. I looked at Adèle and felt a bit sorry, since we both wanted to fly to Brussels and get a sniff of this world of international policy, big gestures and weird laws. 

Montis gave us the opportunity to do so; we were both volunteers of the European LIFE Volunteer Escapes Program at that time and therefore invited to join the European Youth Week. We took our chances with a coin toss settling who would speak about the volunteering in the panel “What nature does for you – What you can do for nature”. Now it was going to be me and I didn’t even know what exactly that meant.

Apanhei a moeda enquanto rodopiava no ar e pressionei-a contra as costas da minha mão esquerda. Quando levantei a mão direita, a cruz patriacal do reverso do euro eslovaco decidiu que era eu que voaria para a Bélgica. Olhei para a Adèle e senti um pouco de pena, pois ambos queríamos ir a Bruxelas e conhecer um pouco desse mundo de politicas internacionais, grandes acções e estranhas leis.

A Montis deu-nos a oportunidade de o fazer: éramos os dois voluntários do programa europeu LIFE Volunteer Escapes na altura e, a esse título, tínhamos sido convidados para nos juntarmos à Semana Europeia da Juventude. Tirámos à sorte por moeda ao ar quem iria falar sobre o voluntariado no painel cujo tema seria “What nature does for you – What you can do for nature”. Calhou-me a mim, e nem sequer sabia o que isso significava.

A few days later I packed my things and printed the traveling agreements while listening to the voice in my head repeating fragments of what I was going to say tomorrow in front of a hundred people in the European parliament. It was 2 AM in Vouzela but Margarida was already awake to deliver me to the airport. We even drove a small loop, since I forgot my flight ticket and only realized after 20 minutes on the road. Good Stuff.

From there on I entered something I call the tracks. Having an organization taking care of your travel is a strange endeavor: you arrive at a certain place and from there on you don’t have to think for yourself. I flew to Frankfurt, the railroad switch clicked, leading me to a Lufthansa flight to Brussels where I got out of the plane and a Hostess guided me onto a shuttle bus towards a hotel, then another hotel and here I found myself in a comfortable room with a double mattress, TV and a desk.

Uns dias mais tarde fiz a mala e imprimi os documentos de viagem enquanto ouvia uma voz na minha cabeça a repetir fragmentos do que eu iria dizer no dia seguinte diante de cem pessoas no Parlamento Europeu. Eram 2 da manhã em Vouzela mas a Margarida já estava acordada e pronta para me deixar no aeroporto. Até fizemos um pequeno desvio, já que me esqueci do meu bilhete de avião e só me apercebi 20 minutos depois de começar a viagem. Fantástico.

Daí em diante entrei num estado ao qual eu chamo de “estar sobre carris”. Ter uma organização a tomar conta da nossa viagem é uma coisa estranha: chega-se a um determinado sítio e daí para a frente não tem de se pensar em nada. Voei para Frankfurt, as agulhas mudaram levando-me para um voo da Lufthansa em direcção a Bruxelas; saí do avião e uma hospedeira dirigiu-me para o autocarro que me levou a um hotel e depois até outro hotel onde me encontrei num quarto confortável com uma cama de casal, televisão e uma secretária.

Slowly waking up I left the tracks after I visited the Parliament to get signed in for the talk tomorrow. As I felt the atmosphere on the atrium in front of the building I realized more and more what this was: with its booths representing various political topics and raising awareness for new issues, with the stage to host musical acts in the evening, with people in suits entering spinning doors and with big wallpapers saying “Democracy and me” or “This time I’m voting”. This was an event to share ideas and discuss current issues, it was to communicate the EUs workings and show ways of engaging to the public, but it was also a big advertisement for itself. Facing a lot of bad publicity during the last years the union appeared to be trying to address some of its issues and be more transparent, but it is also trying to get people excited about it. I realized, that I was in part here to contribute and represent the idea of Volunteering, but I was also here to be politicized and won for a political idea. Realizing this felt a bit strange, but I was still decided on sharing my volunteering experience. Partaking in this event didn’t mean I had to agree with everything that it was. I had and still have the opportunity to voice everything that I like and dislike about it, even though I was presented with all this advertising.

Fui acordando lentamente e abandonei os “carris” depois de visitar o Parlamento para me registar para a palestra do dia seguinte. À medida que observava o ambiente do átrio em frente do edifício apercebia-me cada vez melhor do que toda esta viagem significava: com as diferentes cabines a representar vários tópicos políticos e a sensibilizar para novas questões, com um palco para actuações musicais no final da tarde, com pessoas de fato e gravata a passar portas giratórias e com grandes murais que diziam “A Democracia e eu” ou “Desta vez eu voto”. Tratava-se de um evento para partilhar ideias e debater problemas actuais, para comunicar o funcionamento da UE e demonstrar formas de interagir com o público geral, mas era também um  grande evento de publicidade para si própria. Depois de vários anos de má publicidade, a União parecia estar a tentar resolver alguns dos seus problemas e a ser mais transparente, mas também a procurar entusiasmar as pessoas. Apercebi-me que, de certa forma, estava aqui para contribuir e representar a ideia do voluntariado, mas também para ser politizado e conquistado para um ideal político. Quando me apercebi disso senti-me um pouco estranho, mas continuei decidido a partilhar a minha experiência de voluntariado. Participar neste evento não significava que eu tinha de concordar com tudo o que ele representava. Eu tinha, e ainda tenho, a oportunidade de dar voz a tudo aquilo de que gostei e não gostei, apesar de me ter sido apresentada toda esta publicidade.

Having breakfast in the hotel lobby the next day I felt a bit nervous. I was going to tell people why I thought personal engagement is crucial for conservation and share my personal love for natures beauty and meaning. I chuckled when I realized that I was also going to advertise a cause, but it was one that I believed in and one that was not about political power. These thoughts were then interrupted by somebody at the next table blatantly spoiling a big TV Show for me. I laughed and left the lobby for the Parliament. After completing the security check, I stood in the wide halls of the Building. Looking at the boringly fancy artworks on the walls I overheard two guys who were hired to set a nice atmosphere ask two girls to show them the most epic high five ever. My ears still hurt from the clapping and this weird drone of this places seriousness under the fresh young image it has dressed itself in. 

No dia seguinte, enquanto tomava o pequeno-almoço no hotel, senti-me um pouco nervoso. Ia dizer às pessoas porque é que eu considerava que o envolvimento pessoal é crucial para a conservação e partilhar o meu amor pela beleza da natureza e o seu significado. Ri-me para dentro a pensar que ia fazer publicidade a uma causa, mas tratava-se de uma causa em que eu acreditava e que não tinha a ver com poder político. Estes pensamentos foram interrompidos por alguém na mesa ao lado que descaradamente me estragou a surpresa de um grande programa de televisão. Ri-me e saí do hotel para me dirigir para o Parlamento. Depois de completar a inspecção de segurança, fiquei-me pelo vasto átrio do edifício. Enquanto apreciava as obras de arte convencionais nas paredes, ouvi dois rapazes contratados para fazer ambiente a pedir a duas raparigas para lhes mostrarem o “high five” mais épico de sempre. Os meus ouvidos ainda doem de tantos “high fives” e da estranheza da seriedade deste local por baixo da imagem jovem e fresca com que se mascarava.

“We thought you could just present your talks and organizations and then we’ll discuss with everybody.” said Sofia Pachini, the moderator of the Panel as we fixed the first flipchart next to the podium. She casually explained to us how she wanted the event to go and what we could do to help. The atmosphere was friendly and welcoming, not as heavy as I expected before. It was nice to finally meet the other speakers and talk to them about what we were going to say. Marina, Alessandro and Leonardo were very nice and just as nervous as me when the first people sat down at the rounded benches. Finally arriving for what we were invited felt reassuring still and there for starting the session was easy. 

We were seated at the podium and came down one by one to speak in front of it as Sofia introduced us. It was very inspiring to hear how Marina worked with wildlife while confronting depression and how helping the animals helped her as well. We learned about the organizations that Alessandro and Leonardo worked in and how many possibilities exist to get active and help with conservation, management of Landscapes and political participation. I really enjoyed sharing my experiences at Montis with other people interested in the topic, as well as my motivations for doing so: the beauty of nature, the inherent value of life in its entirety and how it is incredibly valuable for our own health, physically and mentally. These topics are quite personal to me, so seeing people connect with and respond to them in the following discussion was extremely rewarding. It also lifted some of the doubts troubling me before as this form of participation and exchange of perspectives is what I really liked about this event. We collected many points about natures value: it providing us with crucial resources such as clean water and air, the richness of inspiration we are able to find in it, as well as the metaphysical value of life existing at all. Before wrapping up we exchanged ideas on how to save what is under threat: being active in political demonstrations, minimizing our footprint by reducing consumption, changing the existing system of growth dependence to something beyond that or working outside to help nature directly.

“Pensámos que vocês podiam começar por fazer as vossas apresentações e falar das vossas associações e no fim discutíamos com o público.”, disse Sofia Pachini, a moderadora do Painel, enquanto fixávamos o primeiro bloco no cavalete ao lado do pódio. Explicou-nos informalmente como é que queria que a sessão decorresse e o que podíamos fazer para ajudar. O ambiente era simpático e amigável, não tão pesado como eu temia. Foi bom conhecer finalmente os outros participantes e falar com eles sobre o que iriamos dizer. A Mariana, o Alessandro e o Leonardo eram muito simpáticos e estavam tão nervosos como eu enquanto as primeiras pessoas se iam sentando na plateia. Chegar finalmente àquilo para que tínhamos sido convidados fez-me sentir mais seguro e, por conseguinte, foi fácil começar a sessão.

Estávamos sentados no pódio e íamos descendo um a um para falar à sua frente, à medida que a Sofia nos apresentava. Foi uma inspiração ouvir como a Mariana trabalhou com a vida selvagem enquanto enfrentava uma depressão, e como ajudar os animais a ajudou nessa batalha. Tomámos conhecimento das associações em que o Alessandro e o Leandro trabalhavam e de quantas possibilidades existem para estar activo e ajudar na conservação, gestão da paisagem e participação política. Gostei muito de partilhar as minhas experiências na Montis com outras pessoas interessadas, bem como as minhas motivações para o fazer: a beleza da natureza, o valor inerente à vida no seu todo, e o quão incrivelmente importante é para a nossa saúde e bem-estar, físico e mental. Estes temas são muito importantes para mim, pessoalmente, e ver outras pessoas a sentir o mesmo e a vibrar com eles na discussão que se seguiu foi extremamente gratificante. Também se dissiparam algumas dúvidas que antes me perturbavam, pois esta forma de participação e intercâmbio de ideias foi aquilo de que eu realmente gostei neste evento. Pusemos em evidência vários pontos quanto ao valor da natureza: o facto de nos fornecer recursos cruciais como água e ar limpos, a riqueza da inspiração que encontramos nela e o valor metafísico da própria existência da vida. Antes de terminar a sessão trocámos ideias sobre como salvar o que está sob ameaça: sendo activos em manifestações políticas, minimizando a nossa pegada ecológica ao reduzir o consumo, mudando o actual sistema de dependência do crescimento para algo diferente ou trabalhando “ao ar livre” para ajudar directamente a natureza.

 

So that was it! We finished and I was relieved it went so well. I was ready to go outside, speak with the people at the booths, have some of the famous Belgium beer and maybe hear a concert. 

Wait, there’s more! Damn Sofia, that’s a surprise! Somebody couldn’t make it and now there was a vacant space in the event “What needs to be done to address the biodiversity crisis to save the planet?”. I was the only one who could make it, since Leonardo was already in the event and the other two had to leave. Well, I agreed to join, obviously. Now I really didn’t know what to expect.

After eating some fancy hors d’oeuvre that barely sufficed in satisfying the appetite we went for the second event. This time the room was bigger and the people at the podium represented companies, politics, science, conservation and with me and Leonardo volunteering and youth work. There were microphones at the table, a photographer and even translators seated in glass booths which were arranged in a semicircle behind the podium. This appeared to be a much more detailed and serious event. And I wasn’t prepared, great. The Moderator Micheal O’Briain started by introducing us to the crowd, raised some points about biodiversity loss and our approaches on saving them, as well as our incentive to do so. It was very interesting to hear somebody that experienced speaking about his motivations. The topics we then went on discussing with the crowd were nuanced and backed up by the scientific expertise of especially Harriet Bradley. It would break this post trying to summarize, so here you have a link to the video:

http://www.europarl.europa.eu/streaming?event=20190430-1630-SPECIAL-CONFERENCE&start=2019-04-30T14:35:50Z&end=2019-04-30T16:23:08Z&language=or

E pronto! Terminámos e fiquei aliviado por tudo ter corrido tão bem. Estava pronto para sair e falar com as pessoas nas cabines, provar a famosa cerveja belga e talvez ouvir um concerto.

Mas há mais! Ó Sofia, mas que surpresa! Um participante não conseguiu vir e agora faltava alguém na sessão “What needs to be done to address biodiversity crisis to save the planet?” (O que é preciso fazer para enfrentar a crise de biodiversidade para salvar o planeta?). Eu era o único que podia ir, visto que o Leonardo já estava na sessão e os outros dois tinham que se ir embora. Bem, concordei em ir, obviamente. Mas não sabia mesmo o que esperar.

Depois de comer uns canapés chiques que mal deram para satisfazer o apetite, fomos para a segunda sessão. Desta vez a sala era muito maior e as pessoas que estavam no pódio representavam empresas, políticas, ciência, conservação, e o Leonardo e eu a representar o voluntariado e o trabalho da juventude, . Havia microfones nas mesas, um fotógrafo e até intérpretes em cabines envidraçadas dispostas em semi-círculo atrás do pódio. Esta sessão parecia mais detalhada e séria que a sessão anterior. E eu que não estava preparado! O moderador, Michael O’Briain, começou por nos apresentar à plateia, referiu alguns pontos quanto à perda de biodiversidade e as nossas abordagens para tentar salvá-la, bem como os nossos incentivos para o fazer. Foi muito interessante ouvir alguém com tanta experiência falar sobre as suas motivações pessoais. Os tópicos que depois discutimos com o público eram complexos e fundamentados através de conhecimentos científicos, especialmente de  Harriet Bradley. Para não alongar esta exposição, aqui está a ligação para o vídeo da sessão:

http://www.europarl.europa.eu/streaming?event=20190430-1630-SPECIAL-CONFERENCE&start=2019-04-30T14:35:50Z&end=2019-04-30T16:23:08Z&language=or

I left the talk very motivated and full of ideas and energy to get active and work on these issues. I really found confirmation for studying ecology and working with nature and landscapes for the last 5 years in this panel. The event really reminded me on how important it is we address the problems and come up with solutions and how fulfilling this attempt can be. Seeing behind the problems of the EU and still engaging in activities it provides and joining the political discourse is very important in our modern world and I was happy I tried this so directly for once. 

Saí desta sessão muito motivado, cheio de ideias e energia para me tornar mais activo e trabalhar nestes problemas. Realmente, encontrei neste painel a validação dos meus últimos 5 anos a estudar ecologia e a trabalhar com a natureza e a gestão da paisagem. Este evento recordou-me a importância de enfrentarmos estes problemas, encontrar soluções e como pode ser gratificante este trabalho.  Ver para além dos problemas da UE e mesmo assim participar nas actividades que ela faculta, associando-nos, ao debate politico é muito importante no nosso mundo moderno, e fiquei feliz por ter participado tão directamente, por uma vez.

There was only one thing missing now: a fresh Belgian beer and good conversations before entering the tracks back to beautiful Vouzela. 

Agora só faltava mesmo uma coisa: uma cerveja belga acabada de tirar e boas conversas antes de entrar nos “carris” de volta para a bonita vila de Vouzela.

Written by Nico translated by Hugo Barbosa (revista posteriormente)

Texto de Nico Espadilha e tradução de Hugo Barbosa (revista posteriormente)

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *