My experience in Montis, a naturalist association

De Janeiro a Maio de 2019, tivemos entre os nossos voluntários de longa duração, Xavier Ballesteros, voluntários do projecto LIFE VOLUNTEER ESCAPES na Montis, que nos ajudou na gestão das propriedades. A meio do seu período de voluntariado o Xavier deixou-nos um testemunho da sua experiência connosco.

My name is Xavier Ballesteros Olivet. I am from Spain. I am 25 years old. I studied Biology at university and I did a Master’s Degree in Terrestrial Ecology and Biodiversity Management. About me, I can describe as an enthusiastic person about the protection of the environment. I really like to work in the nature and hear the birds singing, while I watch the beautiful landscapes. I feel the nature makes me happier and relaxed. In the future I will work in the conservation of nature.

O meu nome é Xavier Ballesteros Olivet. Sou espanhol e tenho 25 anos. Estudei Biologia na universidade e fiz o mestrado em Gestão da Biodiversidade e Ecologia Terrestre. Sobre mim, posso dizer que sou um entusiasta da proteção ambiental. Gosto muito de trabalhar na natureza e ouvir os pássaros cantar enquanto observo as bonitas paisagens. Sinto que a natureza me faz feliz e relaxado. No futuro, espero trabalhar na conservação da natureza.

I found the Montis project, that forms part of the Life Volunteers Escapes, in the database of the European Solidarity Corps. This project is a long term volunteering in Portugal, it is funded by the European Union. Their aim is hosting volunteers, in order to promote activities in the management of the environment and in the biodiversity conservation within the framework of the European Solidarity Corps. If you want more information about the project, click on the follow link (http://montisacn.blogspot.com/2018/08/life-volunteer-escapes.html). I applied for it, because in my last international experience in France. I enjoyed a lot and it has been a positive experience. For this reason, I applied for this project because I wanted to repeat the experience. Furthermore, I wanted to learn and gain more knowledge about practical management and conservation of the environment. In short, I found Montis association, an ideal place to grow professionally and personally.

Encontrei o projecto da Montis, que faz parte do LIFE VOLUNTEER ESCAPES, na base de dados do Corpo Europeu de Solidariedade. Este projecto de voluntariado de longa duração em Portugal é financiado pela União Europeia. O objectivo é acolher voluntários para promover actividades de gestão do ambiente e conservação da biodiversidade dentro do enquadramento do Corpo Europeu de Solidariedade. Se quiserem mais informações sobre o projecto, vejam aqui (http://montisacn.blogspot.com/2018/08/life-volunteer-escapes.html). Candidatei-me porque a minha última experiência internacional foi em França. Gostei muito, e foi uma experiência muito positiva. Além disso, queria aprender mais e adquirir mais conhecimento prático sobre a gestão e conservação do ambiente. Em suma, encontrei a associação da Montis, um lugar ideal para crescer profissionalmente e pessoalmente.

My experience in Montis started in the 21st January, it was a little hard at the beginning, because I had to adapt the new situation and meet new people. The weather didn’t help because my two first weeks, it rained almost all the days. But I overcome the adversities and the sunny days came. I started to adapt and I enjoyed the new situation.

Montis is a nature conservation association, it manages natural zones to improve their biodiversity. These zones are burned zones, they were affected by the big fire of June 2017, all the plants are burned, but they have started to regenerate. Furthermore, in these zones, there are the presence of invasive species, mainly mimosas (species of genus Acacia) and “háquea-picante” (Hakea sericea). Moreover, in some zones “giesta” (Genisteae sp.) is the dominating species, they occupied almost all the area. All these factors caused a very low biodiversity of the zones. In other hand, most of the part of North of Portugal is eucalyptus plantations, they don’t favour an improvement of biodiversity.

A minha experiência na Montis começou a 21 de Janeiro, foi um pouco difícil no inicio, porque tive que me adaptar a um novo espaço e conhecer pessoas novas. O clima não ajudava porque nas minhas duas primeiras semanas choveu quase todos os dias. Mas superei estas adversidades e os dias de sol chegaram. Comecei a adaptar-me e a disfrutar da nova situação.

Montis, uma associação de conservação da natureza, gere zonas naturais para melhorar a biodiversidade das mesmas. As zonas de trabalho são zonas queimadas, afectadas por um grande fogo em Junho de 2017, todas as plantas queimadas, e estão agora a começara a regenerar. Além disso, nestas zonas, estão presentes espécies invasoras, nomeadamente mimosas (uma espécie do género Acacia) e háquea-picante (Hakea sericea). Em algumas zonas as giestas (Genisteae sp.) são a espécie dominante, ocupando quase toda a área. Todos estes factores causam uma baixa biodiversidade nas zonas. Por outro lado, a maior parte do Norte de Portugal são plantações de eucaliptos, que não favorecem o melhoramento da biodiversidade.

The main tasks are: create biodiversity value. The oaks (Quercus robur and Quercus pyrenaica) are very important, because they are adapted to the climate conditions, they allow the growth of other plants and they control the undergrowth vegetation. Helping in the natural regeneration of the oaks, pruning the oak and cutting the lowest branches of the tree. Putting sticks of willow tree (species of genus Salix) near the water lines. Fighting against invasive species: for mimosa, we don’t pull the mimosa because it would cause the dispersion the seeds and increment their propagation, producing an increase of the number of plants. To do effective control, we remove the bark from 1 meter high to the roots to avoid the transportation of substances from the roots to the leaves; it kills the plant and it doesn’t allow their growing and their seed dispersion. For hakea, we pull up the young plants. This plant is very difficult to control because, when it is big, it produces a lot of seeds. They take advantage of the fire for dispersing the seeds, that are very resistant and open when the plant dies or burns. Then, they colonize a new territory with these seeds.

A tarefa principal: criar valor de biodiversidade. Com plantações de carvalhos (Quercus robur e Quercus pyrenaica) que são importantes porque os carvalhos estão adaptados às condições climáticas, permitindo o crescimento de outras plantas e controlando o crescimento descontrolado de outras. Ajudando a regeneração natural dos carvalhos, fazendo podas e cortando os ramos mais baixo da árvore. Fazendo estacaria de salgueiros (espécie do género Salix) próximo de linhas de água. Lutando contra as espécies invasoras: para as mimosas, não as arrancamos porque senão estas iriam dispersar as sementes e aumentar a propagação, produzindo um maior número de plantas. O controlo mais eficaz que fazemos é retirar a casca a cerca de 1 metro das raízes evitando o transporte de substâncias nutritivas das raízes para as folhas, matando a planta e não permitindo o crescimento da mesma e a dispersão de sementes. Para as hakeas, arrancamos as plantas mais novas. Esta planta é muito difícil de controlar porque, quando adulta, produz muitas sementes, que aproveitam o fogo para a dispersão, já que são sementes muito resistentes e abrem quando a planta-mãe morre ou queima. Assim, colonizam rapidamente um novo território com as suas sementes.

In respect of living with other people of different countries, I can say that is a wonderful experience, because I can make strong relationships with people and I know more about them. The volunteers are very friendly and good persons. They are like my second family. We pass a very good moment all together. In the bad moments we support and we help each other.

Em relação a viver com outras pessoas de outros países, posso dizer que tem sido uma experiência maravilhosa, porque consegui construir relações fortes com as pessoas e conhecê-las melhor. Os demais voluntários são muito amistosos e boas pessoas. São como uma segunda família para mim. Temos passado muitos bons momentos juntos. Nos maus momentos apoiamo-nos e ajudamo-nos mutuamente.

In conclusion, my experience in Montis has been positive. I am learning a lot of practical management and how you can benefit of the natural processes to help in the improvement of the biodiversity of the zone. I like working in the mountain and seeing the amazing views. I always really love discovering new zones of management and I marvel at beautiful landscapes. I think Montis do a very great job. The project has recently started, but they have lots of potential. I believe that, in the future Montis will be able to achieve their challenges. For me is a pleasure helping with their mission and starting to do the first steps to a sustainable management of the natural heritage in Portugal.

Em conclusão, a minha experiência na Montis tem sido positiva. Estou a ganhar experiência prática sobre gestão de territórios e como podemos beneficiar dos processos naturais para ajudar a melhorar a biodiversidade das zonas. Gosto de trabalhar na montanha e ver as incríveis paisagens. Sempre gostei de descobrir novas zonas de gestão e maravilhar-me com bonitas paisagens. Penso que a Montis faz um grande trabalho. O projecto começou há relativamente pouco tempo, mas tem muito potencial. Acredito que, no futuro, a Montis conseguirá atingir os seus objectivos. Para mim tem sido um prazer ajudar nesta missão e começar a fazer os primeiros passos para uma gestão sustentável do património natural de Portugal.

Xavier Ballesteros

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *